sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Arado-Poço Verde



10-07-2011

Com o Verão a teimar em aparecer em força, calçamos as botas com intenções de ser mais teimosos do que ele, a direcção a tomar seria o Poço Verde e as suas sempre frescas águas, a esperança seria de mais um pouco de calor e de coragem suficiente para ir a banhos quando lá chegássemos…
Por mais vezes que faça este trilho, nunca me hei-de cansar da sua beleza… a malhadoura e as suas “frescas”, descer o vale até á ponte das Servas, o tão característico curral do Pinhó…todos esses cenários fazem deste trilho apesar de curto muito apetecível em dias com menos tempo disponível…
Então foi com a tal temperatura amena que se fez o trilho sem grandes pressas e com o pleno objectivo apenas, de desfrutar daquele ar puro, do silêncio apenas interrompido com o som do vento e da fauna envolvente, e encher as vistas com as paisagens já conhecidas mas não menos apetecíveis…
Chegados ao Poço Verde, o calor que sentíamos no corpo não era assim tão insuportável, mas prevaleceu o chamamento daquela água límpida que apesar de fria criava um cenário em que não é suficiente ser contemplado mas sim fazer parte dele…
Afinal não custou assim tanto e que bem que faz á alma…o regresso até é feito em passo mais ligeiro e mais feliz, é o remédio perfeito para enfrentar os desafios do dia-a-dia. O Gerês tem esse poder maravilhoso em nós, por este motivo e por muito mais é que se pode dizer, ser o mais belo cantinho do Mundo…












Texto: David Gonçalves

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget