sexta-feira, 6 de novembro de 2009

O Gerês por Miguel Torga II

Serra!
E qualquer coisa dentro de mim se acalma…
Qualquer coisa profunda e dolorida,
Traída,
Feita de terra
E alma.

Uma paz de falcão na sua altura
A medir as fronteiras:
- Sob a garra dos pés a fraga dura,
E o bico a picar estrelas verdadeiras…

Miguel Torga – Gerês, Pedra Bela, 20 de Agosto de 1942 – Diário II

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget